FICHAS DE JULGAMENTO - 1ª Etapa Campeonato Paulista ANCA 2009/2010
Aberta Júnior
  Fichas
Final 1ª Bateria   2ª Bateria   3ª Bateria  
 
Aberta Classic
  Fichas
Final 1ª Bateria   2ª Bateria   3ª Bateria  
 
Aberta Livre
  Fichas
Final 1ª Bateria  
 
Aberta Ltda.
  Fichas
Final 1ª Bateria  
 
Non Pro
  Fichas
Final 1ª Bateria  
 
Amador
  Fichas
Final 1ª Bateria   2ª Bateria  
 
Jovem
  Fichas
Final 1ª Bateria  
 
Principiante
  Fichas
Final 1ª Bateria  
 

Juiz:
Mark Harden, Weatherford, Texas, EUA

Mark Harden, Aguinaldo Gottardi Filho, Ricardo Lopes e Paulo Tabajara DualibiEsta foi sua quinta prova de apartação aqui no Brasil. Como este evento se destacou dos outros?
Acredito que os profissionais, no geral, melhoraram suas habilidades de apresentação. Eu vi muito mais sutileza neste do que nos eventos anteriores. Embora o gado tenha sido difícil e fez impossível alguns animais serem bem apresentados, os apresentadores me mostraram um nível superior de sutileza.

Você notou uma diferença no nível dos competidores ou dos animais desde sua 1ª visita?
Como disse, os competidores profissionais têm melhorado muito. Eu vi mais animais bons esta vez também. Entendo que as notas podem não refletir isso, porém eu vi mais animais com potencial para notas maiores do que antes.

A última vez que você julgou no Brasil você comentou que muitos competidores se atrapalharam tentando extrair um 74 de um boi do nível 71. Você ainda vê isso como problema grande aqui?
Com certeza não é tanto com os profissionais como era. Eu ainda vi alguns não-profissionais e amadores tentando fazer mais do que precisava com os bois que apartaram; porém muito disso tem a ver com eles não percebendo sua localização na pista. Muitos dos Non-Pros e Amadores precisam pensar mais em sua localização em relação ao boi que estão apartando e ao rebanho atrás. Eles se perdem e acabam tocando o animal quando não deveria e não tocam quando deveria. Isso, com certeza, leva a tiradas perdidas, perdas de posição, linhas de fundo, e bois perdidos.

Em que os competidores deveriam trabalhar para melhorar suas apresentações?
Os profissionais precisam trabalhar apenas com sua sutileza como apresentadores. O Brasil tem muito talento. Em minha opinião, nenhum profissional deveria tentar ser igual a outro. Nós todos podemos aprender técnicas de outros profissionais, mas cada profissional precisa procurar aperfeiçoar o que funciona melhor para ele. Os competidores não profissionais (Non Pros e Amadores) precisam assistir a vídeos de boas apresentações e estudar os melhores profissionais brasileiros quando eles estão apresentando. Assistir como os profissionais trabalham no rebanho, como eles posicionam o gado na tirada e como eles mantêm seu animal em posição durante a apresentação. Olhar como eles não perdem a cabeça quando estão um pouco fora de posição, em vez eles esperam uma oportunidade para consertar. E, se os Non-Pros e Amadores realmente querem melhorar, eles deveriam passar mais tempo apenas aprendendo a movimentar um boi através de um rebanho. Muitas pessoas querem ignorar o trabalho no rebanho e apenas pensam na parte mais 'divertido', mas esta modalidade começa com a separação de um boi do rebanho e tudo da apresentação desenvolve daí; para o bem ou para o mal.

Qual a maior diferença que você vê entre provas aqui no Brasil e a última que você foi nos EUA?
O gado, e os rebatedores. O gado no geral é melhor nos EUA, e temos mais gente que realmente se esforçam para ajudar melhor. Sei que parece contrário, porém eu vi uma atitude que é muito casual de muitos competidores enquanto o gado estava sendo amansado. Se alguém não sabe amansar gado, ele não deveria tentar aprender numa prova. Também quando o gado está sendo amansado, os outros deveriam manter o gado cercado. Muitas vezes eu vi uma pessoa tentando amansar o gado enquanto ninguém ajudava em nada além de não deixar o gado escapar da pista.

Algumas categorias tiveram problemas tirando seus bois. Qual conselho você poderia oferecer para trabalhar com um gado que não perdoa muito?
Reforçando, os não-profissionais precisam aprender a reconhecer onde que eles estão na pista e o que é preciso para movimentar um boi de um ponto ao outro. Embora a verdade seja que alguns bois estavam muito difíceis e poderiam ter passado por baixo de qualquer um independente do seu trabalho no rebanho. Mas, a maioria dos problemas que eu vi começou com um mau trabalho no rebanho; os competidores chegando à beira do rebanho e parando, esperando o gado vier em vez de prosseguir e conduzir um boi fora do rebanho. Uma vez que um cavaleiro cercar-se na beira do rebanho e um boi ou grupo de bois começa a voltar para ele, a vantagem fica com o boi. Esta foi a primeira prova para os animais de 4 anos depois do Potro do Futuro.

Qual a sua impressão da tropa deste ano?
Apartação no Brasil tem um futuro brilhante.

Veja os Resultados Completos deste evento.
 
Veja nossa lista completa de eventos passados e novos eventos
 
PARCEIROS












LINKS








 
Praça Amador Bueno Florence, 274 Ap. 4 - Largo São João, Espírito Santo do Pinhal - SP - 13990-000
Fone: (19) 3651-5362 / (19) 99904-1191 / (19) 99617-2369